Blog

Descubra como podemos mudar essa história juntos

Vamos aprender sobre sustentabilidade, sobre os diversos biomas do nosso país e como criar experiências enriquecedoras através da pintura.

Liberte o artista que você tem em casa: seu filho

29/10/2021

Dar nome às emoções. Os adultos devem orientar as crianças no caminho de autoconhecimento.

Somos nós, adultos, que inicialmente nomeamos as emoções, ajudando os pequenos a definirem suas experiências e a pintura pode auxiliar muito nesse processo.

Você já parou para pensar em qual é o nosso papel, como pais e educadores, na introdução da arte visando o autoconhecimento das crianças?

“Todas as crianças são artistas. O problema é permanecer um artista quando você crescer” Pablo Picasso

O papel da arte no autoconhecimento das crianças:


1. Dar nome às emoções: os adultos devem orientar as crianças no caminho do autoconhecimento. Somos nós, os adultos, que inicialmente nomeamos as emoções, ajudando os pequenos a definirem suas experiências, e a pintura pode auxiliar muito nesse processo.

2. Permita que as crianças falem sobre elas: é importante que digam “estou bravo porque…”, “estou triste porque…”, "estou feliz porque…”. O desenho nos ajuda a expressar nossas emoções reprimidas.

3. Conversem e pintem juntos sobre os medos: deixe que as crianças expressem todos os seus temores, para, aos poucos, ganharem segurança e enfrentarem suas fantasias. Desenhar os medos pode ajudar os pequenos a ter uma visão mais realista sobre o que temem.

4. Trate as emoções como algo natural: os sentimentos quando trancados por muito tempo, podem provocar dor. É preciso que eles sejam colocados para fora. As crianças devem saber que todas as emoções são naturais e qualquer pessoa pode senti-las, sejam elas emoções boas ou ruins. Vamos representar nossas emoções através de pinturas? Medo, raiva, alegria e felicidade podem ser os temas! 

5. Encontrem, juntos, formas saudáveis de expressar os sentimentos: as crianças precisam entender que, ao sentirem uma emoção ruim, nunca devem machucar ninguém. Pense com elas em maneiras saudáveis de liberar as tensões. Alguns exemplos são: desenhar, brincar, escrever um diário, rabiscar sentimentos em uma folha velha e jogá-la no lixo ou fazer atividades físicas. Mas lembre-se: toda forma de expressão é válida e individual. Encontrem a forma de se expressar que seja mais confortável para vocês!

6. O choro também ajuda: pode chorar? Claro que sim! Deixe que as crianças chorem quando tiverem bons motivos. Chorar deixa a tristeza sair e ajuda a acalmar. É preciso, no entanto, que elas entendam que chorar alivia mas não resolve um problema. Pense com elas em soluções objetivas para seus conflitos.

O que as crianças querem (e precisam) é atenção e dedicação, para que possam aprender e entender de onde vêm seus sentimentos e emoções, e assim assumir a responsabilidade por eles, permitindo-se sentir, livre de culpas e restrições, com o manejo adequado de seus afetos.

Nada melhor que a arte para canalizar e servir de ferramenta nessa aventura!

Essas são algumas dicas que podem ajudar você e seu filho a terem a arte como aliada no processo de autoconhecimento e conexão entre vocês.

Tenha muita paciência e lembre-se que o caminho é muito mais importante do que o resultado, aproveitem a jornada da autoexpressão e se dediquem como uma brincadeira, estudo ou entretenimento. Arte é tudo isso e mais um pouco!

#brinquejunto

Categoria: